VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

11/07/2009

O QUE FAZEMOS TODOS OS DIAS – DIFERENÇA OU INDIFERENÇA?




O que fazemos todos os dias quando chegamos ao nosso trabalho: DIFERENÇA ou INDIFERENÇA?

A resposta para essa pergunta não é a descrição de uma rotina mecânica diária, não é a maratona do encontro no café, da ação de ligar nossos equipamentos de trabalho, de tirarmos as pilhas de papeis pendentes das gavetas, colocando-as sobre a mesa e debaixo de nossos narizes, até para justificar nosso posto de trabalho.

Talvez uma das respostas seja a rotina diária da oração (solitária e cabisbaixa), outra possa ser apenas o convívio com nosso íntimo agradecendo a dádiva de poder trabalhar; outra resposta seja na maneira que rotineiramente chegamos ao trabalho e sorrateiramente nos conduzimos, ainda sonâmbulos a nossa posição estratégica e confortável em nossa trincheira de guerra, outra resposta seja a rotina metódica de estabelecer contato com o círculo dos itens materiais de nosso trabalho; então várias respostas podem ser dadas, vários caminhos podem levar a Roma.

Bem, muitos amigos que estão acostumados a ler meus artigos sabem de minha linha de raciocínio. Normalmente esse raciocínio leva à busca constante de caminhos da emoção fundidos a razão, reflexiva às vezes, mas calcada nas atividades holísticas, aquelas ligadas à essência das pessoas, afinal sou profissional da Gestão de Pessoas, então minha reposta à pergunta inicial serão as seguintes:

Nossa resposta começa no caminho de ida ao trabalho, agradecendo a dádiva de estarmos trabalhando? Seja qual trabalho for!

Chegamos e começaremos estabelecer contato com todos aqueles que compartilham conosco os momentos profissionais e pessoais de um ciclo de aproximadamente 9 horas diárias. Aprenderemos momento a momento em valorizar as pessoas com quem compartilhamos nossos objetivos, nossas decepções profissionais, nossas vitórias, por menores que sejam!
Meus amigos muitas vezes chegamos ao nosso posto de trabalho entrando nos ambientes de mansinho, afinal é de manhã, e nosso humor não está tão bom assim, não podemos nos esconder nos processos materiais, não podemos nos esquecer de olhar ao nosso lado e falarmos algo bom, algo que fará a diferença para aquela pessoa que espera nosso sorriso, um afago. Cansei de estar com pessoas que estão sós, mesmo acompanhadas; Pessoas que não fazem a diferença nem para elas quanto mais para os outros: Pessoas que propagam a gestão de pessoas e a retenção de talentos, quando deixam dia após dia que seu talento passar entre os dedos, perdendo oportunidades únicas que a vida nos proporciona.

É triste sabermos que iremos passar mais um dia ao lado de colegas que simplesmente não estarão ali, que farão de um dia de trabalho uma “obrigação” e nunca uma “oportunidade”. Ficamos magoados, tristes, abobados, atônitos e não damos o nosso passo, sim só esperamos que os outros os dêem.

Você que lê este artigo, espera ou faz?

Quando você chega ao seu trabalho busca brincar de “pique esconde” com o colega e chefe, além de seus pares? Você espera que as soluções surjam do nada ou você vai à busca de fazer a diferença.

A constatação é de que a maioria busca só reforçar o lado negativo, da organização e das pessoas, faz a famosa “roda do café” o “jornal nacional da intriga e da suposição”, comenta-se de tudo da roupa do chefe, da saia da secretária, do carro do gerente...da cor dos olhos do motoboy, e se esquece de olhar no espelho, de se olhar no próprio umbigo.

Prega-se no dia a dia a igualdade das pessoas, mas continua a ser diferente. Prega a amizade, mas pratica apenas o interesse corporativo. Faz propaganda de processos de ISO e esquece que a sua qualidade está na prática dos detalhes ligados às pessoas.
Nós, pessoas humanas, geridas por uma energia cósmica revolucionadora, esquecemos de reabastecer as próprias baterias, esperamos que a carga energética seja impulsionada pelos outros e esquecemos de fazer a nossa parte, somos assim simplesmente, iguais ao transporte que nos levou ao trabalho...sai do ponto “A” e chega ao ponto “B”, só isso, nem enxergar os caminhos por que passou.

Eu não sou assim, você também não é assim. Somos a soma de nossas ações e elas devem ser originadas na soma dos pequenos gestos, verdadeiros e humanos.
Bom Dia meu amigo, como está sua vida hoje? Olá, estou aqui pronto para você é só pedir! Vamos fazer a diferença hoje! Somos responsáveis, você e eu, pelos resultados que queremos colher, e claro são os melhores.
Talentos são instrumentos da organização, mas fundamentalmente talentos são pessoas que querem ser mais do que simplesmente um número em tudo que fazem, querem ser PESSOAS.

Tenho certeza que somos melhores hoje do que fomos ontem, mas precisamos praticar isso, respirar, assim de repente, de repente como tudo acontece em nossas vidas, até a morte vem de repente, pois nunca estaremos preparados para ela, o que deixaremos serão sementes, quando esse dia chegar poderá ser tarde para falarmos: AMO A VIDA, AMO AS PESSOAS.

Para subir numa árvore você pode escolher duas formas, subir em seu troco e enxergar o horizonte definindo os caminhos que o levarão a felicidade ou simplesmente “sentar-se na semente e esperar”

Vitor Marques
Gestor de Pessoas, Palestrante Motivacional
www.vitormsmarques.blogspot.com.br

Nenhum comentário: