VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

15/12/2011

OS VELHOS CARTÕES DE NATAL – ONDE ESTÃO?

Ei você... Isso mesmo, você... A esta altura já recebeu muitos e-mails de FELIZ ANO NOVO, FELIZ NATAL... Mensagens inúmeras de vendas para presentear no Natal... E-mails de 1.000 novas simpatias para o Ano Novo. Uma enxurrada de mensagens, que tenho certeza na maioria os deletou ou alguns você leu só o assunto, poucas vezes você chegou a ver o texto e na maioria, bem na maioria nada lhe foi acrescentado e se perde a mensagem.

O bom e velho cartão de Boas Festas, esses você recebeu poucos, não é? Lembra-se que no passado todos os dias de dezembro a caixa de correio exibia cartões ricamente decorados, com fotos e desenhos mostrando a magia do Natal, vinham assinados pelos amigos, você adorava recebe-los, aliás, eles sempre faziam parte da decoração da árvore de Natal depois de ler você e corria pendurá-los lá. Ficava conferindo se todos seus amigos tinham mandado as mensagens, se ninguém havia se esquecido de você, uma festa quando o carteiro entregava cada um desses cartões, Ah! Não é saudosismo, mais era uma das melhores partes do Natal. Na empresa não tínhamos lugar para tanto cartão, a árvore ficava colorida.

Hoje, recebemos um e-mail de um amigo desejando as boas festas, lemos ei, espere um pouco, você o enviou para a lixeira. Outras vezes o e-mail de seu melhor amigo nunca chega. Todo o dia confere a caixa postal e nada, passa o Natal e o Ano Novo e o e-mail não veio. Depois de algum tempo você fala com seu amigo e cobra:

- Cadê seu e-mail do Natal? - Ele fala: Eu mandei você não recebeu? E ai está formado a confusão, até descobrirem que o dito e-mail você recebeu e foi para o SPAM, porque seu amigo mandou um monte de e-mails iguaizinhos para todos os amigos, é assim que a modernidade vem modificando a essência do Natal, deixando-o totalmente eletrônico.

Não adianta ter saudades tudo evolui, daqui a alguns anos as novas gerações descobrirão por arqueólogos que existiam Cartões de Natal e o pior, ninguém saberá para que ele serviu, o espirito de Natal morrerá com eles, enterrados no subconsciente de todos que curtiram esses momentos especiais, singelos e especiais.

Quero aproveitar essa lembrança e refletir com vocês sobre o verdadeiro Natal, não aquele da internet e nem o do shopping. O Natal da família, da montagem da árvore todos juntos, o Natal da ceia e dos pequenos gestos, o Natal em que a meia noite depois de cumprimentarmos nossos parentes íamos às ruas cumprimentando todos, conhecidos e desconhecidos. É esse Natal que quero recuperar nessas linhas e transformar num desejo ardente de que você, especial como é, tenha um ótimo Natal, daqueles que vinham nos cartões maravilhosos e que ficavam expostos em nossa consciência, aqueles das bolas de vidro com água e neve.

Feliz Natal, com ou sem saudades ele está de volta, rápido é verdade, talvez o tempo aperte o resto do ano para que façamos de todos os dias um Natal permanente.

Vitor Marques – Vulgo Papai Noel da família Marques

Nenhum comentário: