VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

10/02/2014

TRANSFORMANDO PRAÇAS EM PRAÇAS!


Hoje vou abordar um tema muito importante para nossas cidades e vidas sociais: Praças!

Não sabemos ao certo se as cidades dão origem a elas ou se elas (Praças) dão origem as cidades, isso é uma incógnita, vamos então buscar explicações na história. Sabemos que na antiguidade as Praças surgiram pela necessidade de um espaço comum para que todos habitantes de uma aldeia, vila ou em pequenos povoados pudessem se reunir e discutir os problemas e necessidades comuns, portanto é um espaço surgido pela necessidade de comunicação, fazendo uma correlação com os dias de hoje a Praça foi a primeira Internet da civilização.

Afinal o que é uma Praça?

As definições são amplas para refletem que Praça é qualquer espaço público urbano livre de edificações e que propicie convivência e/ou recreação para seus usuários, esse espaço está associado à ideia de haver prioridade ao pedestre e não acessibilidade de veículos, além disso, no Brasil é comum a ideia de que na Praça está presente o ajardinamento, mas isso não é uma regra mundial, sendo assim a típica praça na cidade brasileira se caracteriza, portanto, por ser bastante ocupada por vegetação e arborização. Quando ela recebe um maior tratamento, ou quando foi resultado de um projeto, ela também costuma possuir equipamentos recreativos e contemplativos (como playgrounds, recantos para estar, equipamentos para ginástica e cooper, bancos e mesas, etc).
Avaliando as Praças de nossa cidade.
Agora que sabemos o que é uma praça, especialmente no Brasil, avaliemos então as Praças de nossa cidade, faça um passeio virtual por elas e veja se estão atendendo as premissas das definições apresentadas. A Praça da Matriz, da estação, do Rosário, e tantas outras.

Bem amigos nossa proposta é falar sobre Transformações, e por isso creio que todas nossas Praças precisam ser revitalizadas como espaço Colorido, Turístico, convidativo ao cidadão para que a frequente e traga sua família, nela devemos oferecer Lazer (culturais e recreativos), devemos apropriar os eventos a sua capacidade de absorver grande quantidade de pessoas quando necessário, é o caso da Festa Italiana que aperta muitas pessoas num espaço pequeno, precisamos nesse ultimo caso repensar o local de sua realização, a Praça da Estação está pequena para a grandiosidade desse evento.
Há poucos dias comentou-se sobre a baixa frequência de pessoas na biblioteca da cidade, ora meus amigos, tragam os livros para as Praças, bibliotecas ambulantes são uma realidade há muito praticada em outras cidades. O Livro deve ir ao povo, claro que programas de incentivo a leitura e pesquisa em livros devem ser promovidos nas nossas escolas e assim também incentivar a ida a Biblioteca Municipal, um caminho de mão dupla.

È chegada a hora de transformar nossas Praças.

Onde você cidadão de Santa Rita leva seus filhos num parquinho infantil, Balanços, Gangorras, Escorregadores são RARÍSSIMOS nessa cidade. Nossas Praças precisam de revitalização não só de plantas mas de atividades que promovam o aumento da frequência e de sua valorização.

Espaços para grandes eventos, possuímos alguns, mas isso não pode significar abandonar as Praças, precisamos TRANSFORMAR esses espaços, revitalizar seu uso e voltar a sua essência conforme colocado nas definições que iniciei esse artigo. As empresas buscam revitalizar-se o tempo todo, buscam novos produtos ou novas campanhas publicitárias para seus velhos produtos. Chegamos as transformações d vida pela conquista de novos desejos, sendo assim EU QUERO NOVAS PRAÇAS, não do ponto de vista da engenharia mas sim do ponto de vista da CONVIVÊNCIA COM AS PESSOAS.

Gostaria de encerrar esse artigo com uma citação obre Praça que o Sr. Daniel Batista postou na internet nesta semana a quem peço licença para reproduzir abaixo.

Romantismo que tem sua origem nesse espaço e que nos remete a um tempo em que as Praças eram o centro do universo humano, o canal de comunicação maior. Uma explicação simples e uma resposta inteligente.

Perguntei a meu avô. - Porque os homens andam na Praça em sentido horário e as mulheres no sentido anti-horário?
Ele respondeu: Aqui em Santa Rita do Passa Quatro, as pessoas se comunicam pelo olhar e se apaixonam de dentro pra fora.
Até nosso encontro em alguma Praça de nossa cidade, uma pipoca, um livro ou um simples bate papo nos trarão felizes momentos.

(Vitor Marques)
Direotr de RH e Palestrante

Nenhum comentário: