VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

13/10/2015

UMA CRIANÇA ESCREVEU ISS0...


Hoje, acordei e me senti motivado para escrever um desabafo da alma, revelar o turbilhão de pensamentos e reverberação de meu coração. Talvez a você ele não toque fundo na alma, talvez em você ele encontre consonância, mas é fato, somos usurpadores de espaços que não nos foram designados e acabamos pagando por isso, diretamente ou indiretamente.

Não adianta apenas sobrevoar a tristeza, sofrimento e amargura do povo. Não adianta apenas assinar um cheque, separar uma roupa velha ou comprar algum mantimento. Não adianta apenas assumir que todos os problemas foram resolvidos assim, simplesmente, dessa forma descompromissados.
É preciso sair da zona de conforto e ir a campo, devolver espaços que não nos pertencem. Dar voz a quem grita e a quem revela a beleza da alma, especialmente às Crianças, elas são a semente de nossos sonhos.
Mas, nesse momento sim, devo ir ao encontro do que esperar a visita, devo ser Criança, isso rima com Esperança, com Perseverança... Com Criança.
A Criança que escreveu isso sou eu, regatando desejo de nunca deixar de ser assim com no passado a idade me definia, Crinaça, hoje escrevo sobre Esperança, você é parte disso.

OLÁ CRIANÇA, ELA ESTÁ AI... DENTRO DE VOCÊ...

Crianças, nos esquecemos que elas darão continuidade a esse planeta, que elas são herdeiras de nossas maluquices, que elas são fruto de nossos exemplos, que elas são a representação mais pura do amor incondicional, que elas nos olham mesmo quando achamos que estamos escondidos. Mesmo assim, cada dia damos motivos para que nosso planetinha seja corrompido, a começar por NOSSAS CABEÇAS ao fazer de nossas ações EXEMPLOS DE ÓDIO E RANCOR.

Penso na pressão da pergunta que não quer calar: Porque famílias inteiras se matam? Filhos matam pais, pais matam filhos, irmãos se matam e junto com eles morremos a cada segundo. A esperança se vai...
TRANSFORME-SE - POR FAVOR MUDE, EU PEÇO ISSO DE CORAÇÃO... Até a próxima semana!

Nenhum comentário: