VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

04/07/2016

FÉRIAS PARA QUE TE QUERO – FÉRIAS!


TRANSFORMAÇÕES DO CANSAÇO EM ENERGIA

Para jogar, brincar, correr e se divertir. Para ouvir uma boa música, assistir bons filmes. Para experimentar, desenhar e construir coisas. Para ouvir, ler e se encantar com lindas histórias. Para assistir, contemplar e participar dos espetáculos.
Depois de meses de trabalho, nada como gozar as merecidas férias. O tempo de descanso pode ser aproveitado para ficar com a família, viajar, organizar as próprias coisas, fazer aquele curso tão almejado, enfim, é o momento de sair da rotina e da correria do dia a dia. Enquanto uns não veem a hora que esse momento chegue, outros se sentem perdidos por "não terem nada pra fazer". Diante dos mais diversos comportamentos, há os que não abrem mão dos 30 dias de pausa, outros falam que 20 dias já é o suficiente, e há os que não conseguem parar: são os chamados workaholics (viciados em trabalho).

Mas afinal, esse período de pausa é necessário ou pode ser dispensado? De quanto tempo o corpo e a mente precisam para se restabelecerem? Profissionais da área da psicologia, fisiologia e motricidade humana analisam a questão, apresentando considerações que podem ajudar você, leitor, a refletir e planejar como serão as suas férias para os próximos anos.

Férias significam uma mudança de rotina cotidiana que ajuda a restaurar o corpo, mente e a disposição das pessoas, conforme o dicionário nos apresenta definição. Pode-se dizer que é uma época que serve de repouso, de descanso ou para fazer outras atividades que não as de sempre. Afinal, o corpo humano não pode atuar com toda sua potencialidade o tempo todo, sem permitir alguma trégua, algum tempo livre para poder realizar outras escolhas. Férias deveriam ser sinônimas de folga, intervalo, sossego, alívio. Deveriam servir para mudar o tempo e o ritmo em que se vive por alguns dias. Nem tão poucos, para conseguir de fato realizar esta mudança e, nem muitos, para não acostumar e se dispersar na inércia dificultando voltar ao funcionamento habitual. Mas não se tem dúvida sobre a real necessidade de recesso.
Atualmente, a aceleração da vida tem criado, cada vez mais, obstáculos para que todos consigam férias ou que elas de fato cumpram seus objetivos. Nem todo mundo se permite folgar e recarregar as baterias para continuar, no retorno, a sua jornada. Muitos trabalhadores não tem contemplado este direito, seja por uma exigência de seu empregador, cliente ou a sua própria. Pois, para muitos, as férias significam parar de receber a remuneração. Outros, não valorizam e não se organizam neste período para que possam gozar de bons momentos, aqueles que fomentam a tranquilidade, o restabelecimento das condições físicas e mentais. Isto tem provocado inúmeras consequências, como os adoecimentos. A impossibilidade de “baixar a frequência”, de diminuir a marcha, suscita diversos transtornos. A saúde geralmente para a conta.

Mas as férias também servem para aumentar a velocidade para aqueles que gostam de desafios, de aventuras, de intensificar o que já está presente no dia a adia, mas pode ser ainda mais radicalizado. Uma viagem que envolva esporte ou algum objetivo de formação intelectual pode servir como um momento de aprimoramento e maior atividade neste tempo diferente. Em vez de folgar, acentuar e otimizar algumas tarefas e objetivos.

Há um contraponto das Férias, o Retorno, vejamos: Quando chega o momento de voltar, uma correria: correr pra ajeitar a casa, correr para lavar a roupa, pra passar a roupa, pra rever os estragos na conta bancária, correr pra colocar a vida em ordem e recomeçar a briga diária. E essa é a segunda parte do processo de sair de férias. “O feriante” que passou os últimos dias no sossego, que chega ao trabalho ainda a passos de tartaruga, mostrando fotos, distribuindo lembrancinhas e contando histórias, sente que a alegria da das Férias acabou, que há uma realidade rotineira a resgatar, mas ainda assim, seja como forem suas férias, em qual data, em que quantidade, uma boa proposta é buscar a qualidade desta ocasião que se diferencia da maior parte do tempo.

Se prepare, se organize, nem que isto leve o restante do ano para fazer. Vale a pena! BOAS FÉRIAS

Até a próxima semana!

Nenhum comentário: