VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

08/12/2016

EM POUCO TEMPO VOCÊ ESTARÁ DESEMPREGADO PARA SEMPRE

POR ISSO TRANSFORME-SE!
Tenho ouvido muitos falarem sobre o titulo desse artigo, mas hoje quero eu também falar sobre isso: Você está prestes a perder seu emprego para sempre!

Sim, em pouco tempo não haverá emprego para todos! E não há o que Presidentes, Ministros, Deputados e afins possam fazer. Simplesmente o emprego vai acabar! Ah, e a culpa não é das máquinas também não! A verdade é que poucas pessoas vão se manter trabalhando, mas eu não tenho certeza se você será uma delas. Quer saber de que lado você está?
Vamos lá!

#1. Irá permanecer no mercado quem quiser trabalhar!
Óbvio? Não! Quem trabalha está em constante crescimento, busca entender qual a sua participação nos resultados da empresa e da equipe, e se compromete com aquilo. Trabalho não é o mesmo que emprego.
Quem está empregado quer saber apenas da estabilidade e do conforto das férias, 13º, benefícios gerais e aposentadoria. Diz na entrevista de emprego que aceita qualquer coisa só pra não ficar parado, e é o primeiro a reclamar do café muito doce ou muito amargo da empresa.
Quem trabalha quer saber qual o próximo nível poderá atingir, o que precisa fazer pra chegar lá, estuda os melhores da sua área no mercado para entender como cresceram (e fazer esse caminho de forma mais rápida).

#2. Irá permanecer no trabalho quem souber superar adversidades!
O trabalhador real sabe que pra crescer ele vai ter que superar muitas adversidades. Vai cair, e vai ter que levantar. Vai ter vontade de desistir, mas terá que encontrar forças para continuar. Vai ouvir muitos "nãos" e vai ter que desenvolver estratégias novas para os "sims".
Ele entende que só irá chegar onde quer se for maduro o suficiente pra isso, e que as adversidades estão à sua frente para serem superadas e colocadas no "currículo" da vida. E que elas serão o verdadeiro diferencial para se destacar.
Quem tem emprego, ao contrário, adora ver que o outro quis prejudica-lo, que a culpa é da empresa que não é boa, que a crise está feia, que a sorte sempre chega para os outros menos pra ele, e que o mundo de certa forma até hoje só o prejudicou.
O empregado fica "p" da vida quando surgem problemas para resolver. E "Se for pra passar por isso, é melhor eu procurar outro lugar". Ele quer sempre estar à frente, mas não sabe esperar a sua hora. Desde querer ficar mudando a fila no caixa do mercado (achando que sempre tem um indo mais rápido) até não se contentar nunca com o que a empresa oferece (mesmo que permaneça na empresa, fica insatisfeito com tudo).
E acaba não desenvolvendo maturidade suficiente pra seguir em frente.

#3. Irá permanecer no trabalho quem souber mostrar o valor do seu trabalho!
O trabalhador tem um inventário detalhado de toda sua trajetória pessoal, e sabe o que o levou a chegar onde está, e o que poderá levá-lo onde ainda quer chegar. Ele sabe em que ele é, e em que foi bom para os outros e para a empresa. Não de forma arrogante, mas sabe do seu valor. Sabe demonstra-lo no dia-a-dia, desde no cumprimento com os colegas de trabalho até no relacionamento com superiores.
O empregado sabe apontar o que o outro faz de errado, sabe que faz melhor que muitos outros, mas efetivamente não deixa isso acontecer! E a culpa é do encarregado que não sabe perceber isso. E por isso que mudar de setor, de empresa ou de encarregado.

#4. Irá permanecer no trabalho quem for "encontrador de soluções", ao invés de "resolvedor de problemas".
O empregado é excelente em procurar problemas para resolver. Ele sabe apontar defeitos, erros como ninguém. Mas se é pra encontrar soluções, é o primeiro a pular fora. Ele sente que tem destaque por ser bom em ver os erros, e fica feliz com isso.
O trabalhador sabe que para seu próprio bem, e o crescimento da empresa, ele tem que ajudar no encontrar das soluções. Usar sua criatividade. Colocar suas idéias em ação, da forma como for possível, naquele momento. Não espera o momento "ideal". Vai lá e faz acontecer.
Observe: O empregado é o primeiro na fila da descontratação! 

E ai, faz parte de dessa fila? Com carinho (e atenção à você para se tornar um verdadeiro trabalhador).

Nenhum comentário: